segunda-feira, 9 de novembro de 2009

50 - Quantos nomes eu queria que tivesse



Quantos nomes eu queria que tivesse
Esse simples ato de beijar tua boca
Durante o abraço, mas um que eu desse
Seria grande em escrita e teria pouca

Significação real. Um beijo e um abraço,
Substantivos simples e em si abstratos,
Mas quando nossos e concretos num espaço
Real, de palavras se fazem em fatos

É pouco o que diz deles o dicionário
E não me venha um filólogo ordinário
Criar um neologismo deste meu instante.

Se ele é meu e se eu não lhe dei um nome
Não é falta de idéia. O fato me consome
E a ser poeta, nessa hora, prefiro ser amante.

Francisco Libânio,
07/08/09, 12:10 AM
Postar um comentário