terça-feira, 6 de outubro de 2009

Soneto da rosa no jardim


Extraído de http://www.fotoplatforma.pl/foto_galeria/3084__DSCN0505.jpg

Vejo-te imperial e imperiosa. A atenção
Prende-se entre gerânios e violetas,
Entre margaridas, amigas desafetas,
E cravos desgostosos com a distinção

Dada ao rubro com o qual projetas
Tua majestade. Todos súditos são
No jardim e dele exalas inspiração
Para o deleite pleno dos poetas.

Mas qual os reis, teu reinado dura
Tempo e acaba e de não perdura
Nem a beleza. A terra herda o belo

Dos teus dias de ápice e fará a nina
À semente da tua vida, a que germina
O rubro alegrando o jardim em vê-la.

Francisco Libânio,
01/08/09, 1:30 AM
Postar um comentário