terça-feira, 13 de outubro de 2009

Quadras de desejo


Extraído de http://camaraoculta.weblog.com.pt/arquivo/Desejo2.jpg


Vejo-te de espaldas contra a luz por trás de ti,
Teus contornos não são só teus. Eu os tenho
É isso que, com meus olhos neles, eu decidi
E para tanto, empregarei todo meu empenho

Por sorte, este trabalho não será tão ferrenho.
Queres também que eu tenha tudo o que vi
Tanto que lançaste mão deste teu engenho
E me carregaste e agora me tens todo teu aqui.

Depois de me tomar, trouxeste-me a tua casa,
Deitaste-me ao teu leito como se embalasse
Uma cria. Beijo, colo, uma bondade que arrasa
E eis que me fizeste teu como se num passe

De mágica. E ainda eu, como se conservasse
Algo de mim, de forma sem sentido de tão rasa
Digo que te tenho, mas ao ver agora tua face
Entrego-me teu por fiança meu corpo em brasa.

Francisco Libânio,
13/10/09. 1:33 PM
Postar um comentário