segunda-feira, 13 de abril de 2009

20 - Aquele rapaz que vendia sonhos e ilusões


Extraído de http://4.bp.blogspot.com/_qugjzoZGP_Q/Rlh8vqvrk1I/AAAAAAAABoc/erxCcnb3sjY/s400/743992.jpg

Aquele rapaz que vendia sonhos e ilusões
Todo dia e de todas as formas que se imagina
Desde a beleza do corpo que atraía menina
Até o passaporte para as piores alucinações,

Este rapaz ganhou a aposentadoria divina
Antes de cumprir o prazo de suas funções
Sabe-se lá se ele ganhará as gratificações
Que a Previdência desta terra determina

(Vejam-se Previdência e Providência às barras
Dos tribunais, é questão de instâncias)
O que se sabe é que ele não exercerá mais

Seu ofício de vender delírios e farras
Uma vez que eles fizeram a extravagância
De venderem-se até ao, então, cético rapaz.

Francisco Libânio
São Paulo, 07/03/09,
8:01 PM
Postar um comentário