sexta-feira, 29 de outubro de 2010

As Sérvias


De tanto ver a tenista Ana Ivanovic, pôs na cabeça que iria se casar com uma sérvia nem que fosse preciso morar nos subúrbios de Belgrado. Mas não queria uma sérvia qualquer. Tinha que ser, no mínimo, igual à sua musa. E ponto final. Só havia um problema: Onde morava, em Pirapozinho, sérvias não se encontravam em qualquer esquina. Mas não era problema. Ele queria uma sérvia e pronto!
Os amigos tentavam dissuadi-lo da ideia absurda, apresentavam amigas bonitas, morenas como a tenista, mas que nada. Não tinha conversa. Queria uma sérvia. Um amigo seu mais afastado e fã de internet resolveu ajudar e, pela Grande Rede, encontrou quatro sérvias. Não falava a língua delas, mas desenferrujou o inglês com elas.
Esse era o problema. O rapaz também não falava nem bom dia em sérvio. Nem procurou aprender. Queria uma sérvia e não falava uma palavra no idioma delas. E as meninas que o amigo encontrou também não falavam português, mas mesmo assim, ele colocou as pontas em contato. Conversando com elas, convenceram-na a tomar um avião Pra o Brasil e um ônibus para o recanto paradisíaco do interior, O encontro foi engraçado.
As meninas gostaram do rapaz, que também achou as moças interessantes. Conversaram, jantaram ele, elas e o amigo, que servia de intérprete. Os amigos achavam engraçado o rapaz saindo com quatro sérvias e escolher entre elas uma pretendente. Nenhuma era como a Ana Ivanovic e também não sabiam jogar tênis. Gostavam de vôlei. Mas elas não se incomodavam. Ele também não era um Kaká, a quem achavam um gatinho, nem no biótipo menos no futebol.
Um dia, ele e as meninas desapareceram. Os amigos souberam pelo amigo que serviu de ligação entre eles que os cinco foram dar um passeio pelo Brasil. Conheceram as praias do Rio de Janeiro e do Nordeste, o Pantanal e a Amazônia terminando por São Paulo. Uma grande diversão para todos. Quando reapareceu, o sujeito veio sozinho sem nenhuma das suas sérvias.
- O que aconteceu? – Quiseram saber.
- Não deu certo. Elas são maravilhosas, lindas, mas nenhuma delas era parecida com minha musa. Não vai rolar. Também desisti de querer casar com uma sérvia. Até porque ando acompanhando muito atletismo e virei fã da Isimbayeva.
Os amigos deram um tempo. Se viesse com ideia de casar com uma saltadora russa, mandariam interná-lo no hospício. E ele nunca mais falou em namoro com ninguém.

Francisco Libânio,
24/10/10, 3:15 PM
Postar um comentário