terça-feira, 9 de novembro de 2010

Soneto de química


Corpo a corpo, peças complementares,
Formamos um encaixe pra lá de perfeito,
Um modus-operandi ideal sem defeito,
Tudo é perfeição desde as preliminares

Somos a química exata, causa e efeito,
Conhecemos nossos tatos e paladares,
Completamo-nos todos nossos lugares
E só nós sabemos um do outro o jeito

Nossos encontros são delírio na certa,
Para mim sua porta está sempre aberta
Para ti, minha resposta sempre será sim

E mesmo com esse prazer sem ter fim,
Por que depois me falta algo a compor?
Por que chamamos isso de fazer amor?

Francisco Libânio,
08/11/10, 5:06 PM
Postar um comentário