quarta-feira, 25 de abril de 2012

0126 - Soneto direto para uma indireta 01

Que tuas palavras ditas indiretamente
Acertem em cheio teu alvo planejado,
Firam, estraguem e o deixem abalroado

E que esta avaria te deixe contente,

Mas – conselho – disfarça decentemente
O alvo que queres, pois se der errado,
E quase sempre dá, o que é cravejado
Mandará contra ti ataque igual potente

E ele não usará deste mesmo artifício
Que usaste, a covardia, mas do início
Saberão por teu inimigo nome e rosto

Teus, ele não ocultará, fará boa questão
De te apresentar ao mundo e à oposição
E te fará odiado tendo nisso grande gosto.

Francisco Libânio, 
25/04/12, 2:07 PM
Postar um comentário