quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Eu estava bebendo em minha rua


Eu estava bebendo em minha rua,
Bêbado, feliz, insano, inconsciente,
Mas com o sorriso que atenua
O mal que a bebida faz à gente

Eu estava mirando alvejar a lua,
Joguei pedras nela repetidamente,
Corri ao alto de uma alta grua
E ainda assim errei-a. Em mente?

Só álcool e uma saudade doída
E um momento dessas na vida
Em que se que quer o impossível

Maldito plano meu infalível
Maldita lua a brilhar ali
Linda como quando te conheci.

Francisco Libânio,
03/08/11, 10:39 PM
Postar um comentário