segunda-feira, 29 de setembro de 2008

01 - 09-09-08


Escrevo uma canção descompromissada,
Desnuda de amores e de promessas,
Livre da intenção tão ensimesmada
De dar a quem lê pretensas peças

Sobre moral ou sobre a escalada
Dos problemas sociais. Todas essas
Preocupações da gente amante e engajada
Distanciam o que é sério das cabeças

Mas como? – Dirão os que conhecem o poeta –
Como ele muda subitamente seu caminho
Olvidando o coração e o que o fez formado?

E digo que não escrever é a mais correta
Decisão pro amante que está sozinho
E pro idealista que está desapontado.

Francisco Libânio
09/09/08
10:31 PM
Postar um comentário